Compartilhe:

A série Friends terminou após um total de 10 temporadas, ainda em 2003, mas 15 anos depois, continua com audiência significativa não apenas em canais fechados como Warner mas em serviços de streaming como a Netflix. Se ninguém tem dúvidas sobre como se saíram os atores da obra, cujos salários chegaram a um milhão de dólares por episódio em sua temporada derradeira, uma curiosidade que sempre dividiu os fãs sempre ficou sem resposta: afinal, quem vivia financeiramente melhor entre os personagens?

O questionamento virou matéria-prima de um levantamento inédito feito pela Distinct Recruitment, empresa de seleção e RH, que estimou os ganhos das profissões desempenhadas por cada um deles, transformando as temporadas em anos de vida. São 236 episódios, compilados em um belo infográfico do Giffgaff Gameplan:

District Recruitment/GiffGaff Gameplan/Reprodução

Ao término da 10ª temporada da série, foi o ator Joey Tribianni que se encontrava em melhor situação financeira, após uma década de mais baixos que altos. Joey chegou a dar aulas de atuaçao e a ser garçom no Central Perk, além de uma participação na novela Days of Our Lives. Foi somente no retorno dele ao folhetim, que incluiu a participação em um grande filme, que a situação financeira do descendente de italianos não muito “esperto” ficou equilibrada e à frente dos amigos de Nova York.

No compilado de todos os anos, sem dúvidas, o personagem com maior estabilidade foi Chandler Bing, cujo trabalho com análise estatística e processamento de dados foi um certo mistério por nove temporadas até ele desistir da carreira e partir em busca de uma nova chance no ramo de publicidade. Seus ganhos lideraram os ganhos entre os amigos em cinco temporadas, mas ao final da série, o personagem ficou em quinto lugar no ranking dos amigos.

Tanto no quesito estabilidade quanto no fim da série, os irmãos Geller, Mônica e Ross, completam o pódio. Ela, que teve uma pequena empresa de buffets e chegou a ser garçonete num restaurante com tema dos anos 50 se consolida como chef de alguns empreendimentos até chegar ao Javu, pico de sua carreira. Ele sempre se manteve estável, exceto durante tempo que tira de licença do trabalho como paleontólogo.

Além do trabalho de estimativa dos salários anuais de cada personagem, o levantamento também compilou o que chamou de “gastos mais ridículos” de cada um dos personagens. As despesas surreais vão desde o lendário cachorro branco de porcelana, adquirido por Joey ao custo de 200 dólares (R$ 677) até um par de botas que Mônica adquiriu por nada menos que 1,5 mil dólares (R$ 5,1 mil).

Entre as dúvidas que permanecem sobre a “realidade” possível em Friends, ainda fica a questão do gigantesco apartamento de Mônica (ok, da avó dela) em Greenwich Village, que, atualmente, custaria nada menos que US$ 4 milhões (R$ 13,55 milhões), segundo estimativa da Mortgage Advisers.

 

 

Gostou do conteúdo? Segue a gente na página logo abaixo:

 

Os gastos mais ridículos dos personagens de Friends
Infogram

Deixe um comentário