Compartilhe:

O próprio Google se pronunciou: as buscas por Yanny e Laurel dispararam. As palavras, que não poderiam ser mais diferentes, motivaram mais uma divisão de “times” e enlouqueceu internautas dos Estados Unidos antes de mobilizar a atenção de pessoas do mundo todo. Pode parecer loucura, já que as palavras são tão distintas, mas acredite, há muita gente escutando diferente de você.

Ouça:

O mistério dessa vez não convenceu muita gente, já que a chave para entender a questão depende (muito) de por onde a pessoa está ouvindo o som, não de como nosso corpo (cérebro) detecta tais ondas sonoras.

A resposta está em duas questões desse áudio: amplitude e frequência. Caso as frequências mais baixas não sejam bem reproduzidas, como no caso de alguns aparelhos celulares (galera do iPhone incluída), é possível que o internauta ouça apenas “Yanny”, som que está mais na superfície da gravação. Em outro reprodutor, com baixos mais acentuados e com volume mais alto, a mesma pessoa pode ouvir Laurel e vice-versa. Faça o teste! Em alguns casos, basta usar o fone de ouvido.

Deixe um comentário